• Édi Willian Moreira dos Santos

Após confusão com o marido, motorista embriagada perde o controle e entra com carro dentro de casa e


Por volta das 16h20min, a polícia militar foi chamada para comparecer até a Rua Tibagi, onde uma mulher estaria sendo ameaçada pelo seu convivente, segundo ela, houve uma discussão com seu convivente, o mesmo chegou a ameaçá-la dizendo que iria dar vários socos na sua cara, mas ao saber que a policia foi acionada resolveu se entender com a mesma e não realizou mais nenhum tipo de ameaça.

No local foi possível notar que os envolvidos estavam com sintomas de embriaguez, a solicitante estava com dificuldades de parar de pé e estava com hálito etílico. Diante dos fatos Eliane não quis exercer seu direito de Representar contra seu convivente e foi orientada a tomar as medidas cabíveis.

Mais tarde, por volta das 19 horas, a mulher, estava conduzindo um veículo Fiat Prêmio, quando perdeu o controle do carro ao fazer uma curva e acabou invadindo uma residência, derrubando o portão e acertando a parede.

Segundo informações, a condutora Eliane Aparecida Carvalho, 25 anos, seguia pela Rua Tibagi, no Jardim Santa Helena, quando na esquina com a Rua Leônidas Buy, perdeu o controle do carro e entrou no quintal de uma residência, onde derrubou o portão e acabou batendo contra a parede de uma casa. Uma criança de 10 anos que estava dentro do carro sem o cinto de segurança foi ejetada para fora do veículo.

A condutora teve um corte na cabeça e escoriações, já a criança teve escoriações leves, a mulher e a criança foram encaminhados para o Hospital Municipal de Faxinal, onde receberam atendimento. Segundo testemunhas o carro era de propriedade de uma terceira pessoa, que foi até o local após o ocorrido, porém foi embora antes da chegada da polícia. Testemunhas também disseram que a mulher estava embriagada e andava cambaleante. O veiculo foi recolhido ao pátio do Destacamento de Policia Militar.

A equipe da PM foi ao Hospital para verificar a situação da autora e tomar providencias legais, chegando no local a mesma já tinha sido atendida e estava com ferimento em sua face e nas mãos, com sangue em suas roupas, mas recusou-se ficar em observação, foi oferecido o teste do bafômetro, mas Eliane se recusou a fazer a medição realizada pelo aparelho, sendo assim foi confeccionado o Termo de Constatação de Sinais de Alteração da Capacidade Psicomotora, foi dada voz de prisão para mesma e não houve resistência e não teve necessidade de algemar, a mesma foi encaminhada para a 53ª DRP para providências.


4 visualizações
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon