• Édi Willian Moreira dos Santos

APP Sindicato suspende greve de professores no Paraná



Na manhã deste sábado (18), ocorreu a Assembleia Estadual da APP Sindicato, em Curitiba (PR). Participaram mais de dois mil educadores da rede pública do Paraná.

O primeiro ponto, avaliação da greve, 15 pessoas trouxeram considerações sobre o movimento e depois foram feitas três defesas favoráveis e três contrárias à continuação da greve. Na sequência, a maioria dos educadores presentes decidiu pela suspensão da greve, manutenção do estado de greve e Assembleia permanente, além da continuidade das mobilizações. A luta não termina e segue contra as imposições do governo do Paraná e das pautas em âmbito nacional que recaem na sociedade.

O presidente da APP Sindicato, professor Hermes Silva Leão, reconheceu e registrou o esforço dos trabalhadores na luta, durante o grande ato nas ruas de Curitiba e das cidades paranaenses.

Na Assembleia, ficou decidida que será mantida a Coordenação de Mobilização Estadual da APP para organizar as ações contundentes para o próximo período de luta, com calendário que ainda será definido.

Mesmo com a suspensão da greve, algumas ações ainda continuam na pauta da APP:

– Reforma da Previdência e Trabalhista: serão intensificadas as reuniões com os(as) deputados(as) federais para cobrar um posicionamento sobre a atual proposta do fim da aposentadoria e da Reforma Trabalhista;

– Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE): indicação do ato nacional e paralisação nos dias de votação das contrarreformas Previdenciária e Trabalhista;

– Atos públicos conjuntos com os movimentos sociais contra as reformas Previdenciária e Trabalhista;

– Ação conjunta com os(as) estudantes pela não implementação do Ensino Médio no Paraná;

– Exposição da imagem do governador Beto Richa (PSDB), que não cumpre a lei e não dialoga com a educação;

– Mostrar o envolvimento do governo do Estado em denúncias de desvio de recursos públicos;

– Estabelecer a contagem regressiva para o fim do mandato do governo Beto Richa;

– Continuar a interlocução com os movimentos sociais e a comunidade formando comitês de mobilização;

– Audiência Pública sobre as práticas antissindicais;

– Continuar as “recepções” ao governador, entregando carta com a pauta da educação e cobrando abertura de negociação;

– Bancas e tendas em locais públicos com demais sindicatos e movimentos sociais para mobilizar a população do Paraná diante da pauta nacional, das maldades do Beto Richa e em defesa da educação pública;

– Reunião com a comunidade escolar para debater as reformas Previdenciária e Trabalhista.

Outras deliberações também foram lembradas:

– Ação para o arquivamento dos processos administrativos contra educadores(as): atuação pelo livre direito de expressão dos(as) professores(as) e funcionários(as);

– Faltas nos três dias da greve: a APP cobrará do governo do Estado o não lançamento das faltas. O Sindicato comunicará ao governo Estadual a suspensão da greve e solicitará a reposição dos três dias de greve. A orientação é para que os(as) educadores(as) não façam reposições antes dessa negociação;

– Aprovação da contribuição sindical: diante da Instrução Normativa nº1, que obriga a cobrança do Imposto Sindical, a Assembleia definiu que a APP solicite o recebimento da parte que lhe cabe, que será devolvido aos(às) sindicalizados(as). Sobre o desconto e devolução dos(as) não sindicalizados(as), o debate foi remetido para a próxima Assembleia, marcada para o dia 08 de abril. Mais informações sobre o tema no site da APP;

– No dia 08 de abril de 2017: Assembleia Estadual Ordinária de Prestação de Contas.

Informações: APP Sindicato


0 visualização
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon