• Édi Willian Moreira dos Santos

Bispo da Diocese de Apucarana emite nota sobre COVID-19


Veja as recomendações do Bispo da Diocese de Apucarana, Dom Carlos José:


Queridos irmãos sacerdotes! 

Vivemos dias diferentes e desafiadores, mas o Senhor Ressuscitado caminha conosco, dando-nos a certeza de que a Igreja, sua esposa, atravessará também este delicado momento.
Diante deste cenário, recordo que o espírito de oração e comunhão deve sempre prevalecer. Vamos aproveitar este momento para intensificarmos nossa oração. A Igreja é a grande intercessora da humanidade. Vamos alimentar nossa necessária paciência, compreensão, atitude de espera e nossa fraternal amizade,  mesmo com o distanciamento social. 
Em tempos assim não é possível uma orientação do Bispo para um longo período. Os tempos mudam, ninguém sabe ao certo a dinâmica da pandemia.  Temos que, com paciência, ir vivendo e nos adaptando, dia após dia. Ao mesmo tempo, temos que respeitar os irmãos com seus medos, sua visão, sua maneira de encarar e viver algo desconhecido. 
Neste momento de pandemia é impossível uma orientação única para toda a diocese. Recordemo-nos que nossa diocese abrange 36 municípios. Cada município tem uma orientação sanitária própria. E mais. Entre nossos padres temos aqueles que pertencem ao chamado “grupo de risco”. Também em nossas 64 paróquias, questões relativas a espaço, localização, possibilidades, recursos humanos são complexas e diversificadas.
Assim, tendo diante dos olhos a realidade diocesana e o fato de que vários municípios flexibilizaram suas normas sanitárias, apresento algumas orientações para esta fase da pandemia:
1. Sejam cumpridas com rigor todas as orientações advindas das autoridades responsáveis pela saúde pública nos mais diversos níveis: Federal, Estadual e Municipal. Mantenhamo-nos atentos, sobretudo, ao que for determinado pelas AUTORIDADES MUNICIPAIS.
2 . Continua em vigência o que foi determinado no Decreto de 19 de março de 2020, a saber: todos os fiéis estão dispensados da obrigação de participar das Missas dominicais e dos demais dias de preceito, de acordo com o previsto no Cân. 87 do Código de Direito Canônico.
3. Todos os que pertencem ao grupo de risco – idosos, hipertensos, diabéticos, imunodeprimidos e gestantes, entre outros – devem, na medida do possível, abster-se de participar da Santa Missa e outros atos de culto com participação do povo promovidos pelas paróquias. Os clérigos que pertencem ao grupo de risco tomem os cuidados devidos e ponderem, com prudência, a conveniência da sua exposição nas ações litúrgicas e outros atendimentos pastorais.
4. As Missas com a presença de fiéis, a critério de cada pároco, ficam autorizadas, porém, com as seguintes orientações:
a) deverá ser rigorosamente respeitada a lotação máxima de 30% da capacidade do templo (ou o porcentual permitido em cada município). Portanto, se for necessário, haja um número maior de celebrações, de acordo com as condições de cada paróquia e do sacerdote;
b) somente as pessoas com máscaras poderão adentrar na igreja e deverão fazer a higienização das mãos com álcool gel 70%;
c) não poderá participar das missas e outras celebrações quem apresentar sintomas de resfriado/gripe;
d) deverão ser marcados os assentos para os fiéis se sentarem, respeitando a distância de 2 metros entre as pessoas;
e) a igreja deverá ser continuamente higienizada, intensificando-se a limpeza das áreas com desinfetantes próprios para a finalidade e realizar frequente desinfecção com álcool 70%, quando possível, sob fricção de superfícies expostas;
f) para a comunhão eucarística o ministro (sacerdote, diácono ou leigo) deve higienizar as mãos com álcool gel 70% antes e depois da distribuição;
g) para a distribuição da sagrada comunhão não se deve formar filas, mantendo o necessário distanciamento;
g) a duração da Missa deve ser de no máximo 40 minutos;
h) continue sendo realizada, onde for possível, a transmissão das celebrações via internet; 
i) de forma alguma sejam permitidas aglomerações;
j) cada paróquia procure constituir uma EQUIPE de colaboradores para o controle de entrada dos fiéis, higienização e limpeza, segurança etc., além das funções litúrgicas.
5. Os sacerdotes que desejarem poderão distribuir a comunhão fora da Santa Missa, quando os fiéis pedirem (Cân.918) ou no sistema de drive-thru, sempre com a reverência necessária ao Santíssimo Sacramento e orientando os fiéis a que acompanhem a Santa Missa pelos meios de comunicação e façam o ato de contrição. De qualquer forma evite-se sempre a aglomeração de pessoas. 
Em espírito de união e de intercessão, nos abençoe a Santa Mãe de Deus, Nossa Senhora de Lourdes, Excelsa Padroeira. 
+ Carlos José
Bispo Diocesano



96 visualizações
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon