• Édi Willian Moreira dos Santos

CRAS de Faxinal realiza projeto de sensibilização ao combate a exploração sexual de crianças e adole


Neste dia 18, Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, a Equipe do CRAS de Faxinal realizou uma reunião informativa, objetivando sensibilizar a população usuária dos serviços sócio-assistenciais e estudantes adolescentes no qual trabalhamos a história do dia 18 de Maio, a Mobilização para a data no contexto dos movimentos sociais de defesa e proteção da criança e dos adolescentes, os aspectos e consequências do abuso e exploração de crianças e adolescentes, enfatizando os canais de denúncia: Disque Direitos Humanos 100 e Conselho Tutelar.

A Equipe do CRAS agradeceu a participação e a presença de todos os usuários das políticas de assistência social, as alunas do Curso de Formação de Docentes, professoras, coordenadora, enfim a todos que participaram de alguma forma e a Secretaria de Assistência Social que nos dá o apoio para realização das tarefas da proteção social básica.

Com o tema "18 DE MAIO - DIA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, a palestra falou sobre um caso ocorrido no dia 18 de maio.

No dia 18 de maio de 1973, em Vitória-ES, a menina Araceli Santos foi sequestrada, espancada, estuprada, drogada e assassinada numa orgia de drogas e sexo. Seu corpo, que apareceu seis dias depois, foi desfigurado por ácido. Os agressores de Araceli ficaram impunes. Este fato divulgado pela mídia chocou toda a nação, ficando conhecido como "Caso Araceli".

Em 2000, foi aprovada e sancionada a Lei Federal nº 9970/00 que criou o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes” -18 de Maio- cujo objetivo é sensibilizar e mobilizar a sociedade o enfrentamento dessa problemática.

Esse dia então passou a ser um marco na luta pelo fim da violência sexual contra crianças e adolescentes.

Abuso sexual - situação em que criança ou adolescente é usado para gratificação sexual de adulto ou adolescente mais velho (pelos menos 4 anos de diferença), baseado em uma relação de poder. Inclui manipulação dos órgãos genitais, mama ou ânus, exploração sexual, voyeurismo(assistir atos sexuais), pornografia(fazer material pornográfico com crianças/adolescentes ou mesmo mostrar material pornográfico para eles) e exibicionismo - incluindo telefonemas eróticos - e o ato sexual com ou sem penetração, com ou sem violência. Isso pode acontecer com ou sem força física.

Autores de crimes sexuais costumam usar estratégias para seduzir e atrair crianças e adolescentes. As crianças deveriam ser educadas para prevenir, identificar e avisar alguém de confiança sobre o assédio, inclusive quando ocorre dentro de casa.

A equipe também deu dica saudáveis sobre prevenção de abusos, que foram:

Seu corpo pertence a você, em qualquer idade! Ninguém tem o direito de sequer tocar em você, sem a sua permissão. Você tem direito à saúde e proteção social, como prioridade absoluta, e assegurado em Lei!

Nunca deixe que explorem seu corpo ou partes do seu corpo por quaisquer motivos. Muito menos para exploração pública, ganho comercial ou satisfação sexual de outra pessoa. Nunca aceite chantagens de ninguém. Você não dever favor a ninguém, muito menos favores sexuais a qualquer pessoa em nenhuma circunstância, nem mesmo a alguém familiar ou conhecido!

Evite situações de risco, como contatos com pessoas drogadas, violentas, ou que tenham distúrbios de conduta imprevisíveis, freqüentemente. Evite pegar “caronas” ou viajar com pessoas desconhecidas.

Denuncie suspeitas, ameaças ou pressões sexuais de qualquer pessoa desconhecida ou não, para um familiar, profissional de saúde ou de educação de confiança. Procure ajuda o mais depressa possível. Telefone para uma pessoa amiga quando estiver em situação de desespero ou ameaça, ou telefone para o DISQUE-DENUNCIA: 100 ou 181.

É normal sentir vergonha, medo, culpa, raiva, preocupação em relação a qualquer pessoa de sua família ou desconhecido que tente, ameace, ou pressione você a fazer coisas ou agir sexualmente (como manipular ou acariciar partes do corpo) sem seu consentimento. Procure ajuda profissional ou tratamento médico ou psicológico em qualquer unidade de saúde.

Desenvolva com seu grupo de amigos/as uma relação saudável de amizade, apoio e alegria, sem transgredir regras de segurança nem testar os limites do respeito. Sua intimidade sexual só deve ser revelada ou exposta num momento de total lucidez, paz, segurança, certezas e com responsabilidade.

Abuso sexual é crime. O agressor deve ser denunciado (material adaptado das dicas elaboradas pela Dra. EVELYN EISENSTEIN, do Centro de Estudos Integrados, Infância, Adolescência, Saúde – CEIIAS)

Como pedir ajuda ou fazer uma denúncia?

Conte para alguém de sua confiança ou telefone para o Conselho Tutelar (43) 99966 3012, Disque Denúncia Estadual: 181 ou Disque Denúncia Nacional: 100


0 visualização
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon