• Édi Willian Moreira dos Santos

Duplicação entre Mauá da Serra e Apucarana é concluída


Fotógrafo Edson Denobi Caldeira

A duplicação da BR-376 (Rodovia do Café), no trecho de cerca de 60 quilômetros, entre Apucarana e Mauá da Serra, passando por Califórnia e Marilândia do Sul está concluída. A informação foi dada ontem por representantes da Concessionária RodoNorte.


Pela manhã, o prefeito de Apucarana percorreu o trecho até Mauá da Serra, onde se encontrou com o colega prefeito Hermes Wicthoff. Juntos os dois observaram os trechos finais das obras de duplicação e comemoraram a conquista.


"Essa duplicação é histórica para todos os cidadãos de Apucarana e de todo o Vale do Ivaí, após décadas de sofrimento e de tragédias na rodovia. E, especificamente, em relação a nós de Apucarana tem um valor ainda maior, por que no início da duplicação do trecho Ponta Grossa-Apucarana havia apenas a frente de trabalho que vinha do sul para o norte", lembrou Junior da Femac.


O prefeito relata que em março de 2013 a abertura da frente de trabalho norte, a partir de Apucarana, foi garantida após uma ampla mobilização liderada pelo então prefeito Beto Preto e por ele. "Na época, percorremos todas as cidades do Vale do Ivaí da macrorregião norte obtendo a adesão de todos os prefeitos da Amuvi e da Amepar, e também de lideranças empresariais e do agronegócio, em reuniões realizadas no Conselho de Desenvolvimento de Maringá (Codem), e na Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil)", recordou Junior da Femac.


Segundo o prefeito de Apucarana, ver esse trecho de rodovia duplicado agora, depois de seis anos de obras é muito especial para todos da região. "A rodovia vai garantir melhor mobilidade e mais segurança no transporte de cargas e para todos os demais condutores na ligação do norte ao sul do Estado", assinala, reiterando que foi uma árdua luta que encabeçou ao lado de Beto Preto.


Em março de 2013, no trecho entre Ponta Grossa e Apucarana, de 244 quilômetros, havia apenas 13 quilômetros já duplicados, na Serra do Cadeado, entre Mauá da Serra e Ortigueira. Na época o Governo do Estado anunciou a obra de 231 quilômetros, incluindo o contorno em Apucarana. A ordem de serviço para o início das obras aconteceu em Ponta Grossa. Porém, apenas a frente sul iria começar de imediato, por que já existia o projeto executivo elaborado pela CCR Rodonorte.


As obras de duplicação da Rodovia do Café na frente norte, no trecho de Apucarana a Mauá da Serra, foram iniciadas apenas em setembro de 2014. Na época, o prefeito Beto Preto e o vice, Júnior da Femac, participaram do lançamento da duplicação da BR-376, no trecho Apucarana a Califórnia. "A ideia era ter uma segunda frente de obras no sentido norte-sul, como maneira de avançar mais rápido na duplicação da Rodovia do Café", lembra Junior, avaliando que a obra irá gradativamente mudar o patamar da infraestrutura do Paraná, passando a dispor de um corredor de exportação mais ágil e seguro, ligando a macrorregião norte com Curitiba e o Porto de Paranaguá.


A partir da próxima concessão de rodovias no Paraná, prevista para 2021, ainda restará um trecho de cerca de 80 Km para ser duplicado entre Ponta Grossa e Ortigueira.

50 visualizações
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon