• Édi Willian Moreira dos Santos

Ministro Levy diz que mudar meta fiscal para manter Bolsa Família é inconveniênte



O ministro da fazenda Joaquim Levy, não concordou com a medida proposta pela presidente Dilma Rousseff de alterar a meta de superavit primário do ano que vem para preservar o programa Bolsa Família.

Em entrevista a Voz do Brasil, Levy considerou inconveniente e equivocado alterar a meta fiscal, para ele, o pais deveria aprender separar meta fiscal e bolsa Família.

A presidente Dilma enviou ao Congresso uma proposta de redução da meta fiscal de 0,7% para 0,5% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2016, com a possibilidade de abatimento de investimentos que, na prática, permite que ela seja de zero no ano que vem.

A decisão do Palácio do Planalto contrariou a posição do ministro Joaquim Levy, que defende dentro do governo a manutenção da meta de 0,7% do PIB, equivalente a R$ 43,8 bilhões.

O texto encaminhado pelo governo ao Congresso reduz o superavit primário (economia de gastos para pagamento da dívida pública) de R$ 43,8 bilhões para R$ 30,58 bilhões, o mesmo que 0,5% do PIB.

Além disso, o documento enviado aos parlamentares prevê a possibilidade de abater R$ 30,58 bilhões de investimentos caso haja uma "frustração de receita" em relação à previsão feita pela equipe econômica.

Fonte: Folha de São Paulo / Voz do Brasil


0 visualização
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon