• Édi Willian Moreira dos Santos

MPF denúncia Lula como Comandante Máximo



O Ministério Público Federal (MPF) denunciou nesta quarta-feira (14) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a mulher dele, Marisa Letícia, e mais seis pessoas no âmbito da Operação Lava Jato. O procurador Deltan Dallagnol afirmou que, segundo provas do MPF, Lula era o "comandante máximo do esquema de corrupção identificado na Lava Jato".

A denúncia abrange três contratos da OAS com a Petrobras e diz que R$ 3,7 milhões em propinas foram pagas a Lula. Os crimes imputados aos denunciados são corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. A denúncia não significa que eles sejam culpados dos crimes de que são acusados. Cabe à Justiça acolher ou não as argumentações dos promotores. Se acolher, os denunciados se tornarão réus e serão julgados.

O MPF pede a indenização de R$ 87,6 milhões, que deve ser paga pela OAS e também por Lula, além de R$ 58,4 milhões, a serem pagos por Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e Agenor Franklin Magalhães Medeiros, ex-executivo da OAS.

Segundo o procurador, Lula recebeu propinas de forma dissimulada, por meio da reserva e reforma de um apartamento triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo, e do custeio do armazenamento de seus bens. Dallagnol afirmou que há 14 conjuntos de evidência contra o ex-presidente, que teria sido o "maior beneficiário do esquema".

A denúncia do MPF diz que todo o mega esquema envolve o valor de R$ 6,2 bilhões em propina, gerando à Petrobras um prejuízo estimado em R$ 42 bilhões.

Todos os denunciados: Luiz Inácio Lula da Silva - ex-presidente - corrupção passiva e lavagem de dinheiro Marisa Letícia - mulher de Lula - lavagem de dinheiro Léo Pinheiro - ex-presidente da OAS - corrupção ativa e lavagem de dinheiro Paulo Gordilho - arquiteto e ex-executivo da OAS - lavagem de dinheiro Paulo Okamotto - presidente do Instituto Lula - lavagem de dinheiro Agenor Franklin Magalhães Medeiros - ex-executivo da OAS - corrupção ativa Fábio Hori Yonamine - ex-presidente da OAS Investimentos - lavagem de dinheiro Roberto Moreira Ferreira - ligado à OAS - lavagem de dinheiro

A força-tarefa da Lava Jato afirmou que deixou de denunciar Lula pelo crime de organização criminosa porque este fato está em apuração no Supremo Tribunal Federal (STF).

Fonte: G1


0 visualização
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon