• Édi Willian Moreira dos Santos

Mulher acusada de matar um recém-nascido, muda a versão



Um crime chocante que aconteceu nesta segunda-feira (22), em Mauá da Serra, de uma criança recém-nascida foi assassinada com golpes de faca.

A princípio a mulher conhecida por Ediocéia de Menezes, de 36 anos, relatou a polícia que a mesma esfaqueou o bebê, mas ao chegar na Delegacia mudou a sua versão, afirmando que a criança foi assassinada por seu companheiro e que foi obrigada a assumir o crime mediante ameaça de morte.

Em entrevista concedida ao TNOnline, a mulher alegou que era obrigada a se prostituir, mesmo durante a gestação. Segundo ela, as relações sexuais frequentes teriam colaborado para o parto antes da data prevista.

“O meu bebê nasceu antes do tempo. E assim ele nasceu eu pensei que o homem que vive comigo ia cortar o cordão umbilical. Mas ele pegou a faca e ‘plantou’ na nuca e nas costas do meu bebê e olhou para minha cara e falou que não gostava de criança”, relata.

A mulher afirma que não ingeriu álcool nem substâncias ilícitas e culpa o companheiro pelo assassinato do filho. “Meu mundo acabou naquele momento. E ele pegou e disse que ia chamar a polícia e falou que era para eu assumir tudo ou então ele iria me matar”, conta.

Durante a entrevista, ela afirmou várias vezes que foi ameaçada. “Eu só falei que havia esfaqueado a minha barriga porque o homem que vive comigo me obrigou. Eu tenho dois filhos que eu amo. A raspinha do tacho ele matou”, afirma.

“Quem chamou a polícia foi ele. Ele disse que se eu quisesse sair viva da casa eu teria que assumir a culpa”, reiterou.

A Polícia Civil investiga o caso.

Fonte: Tnonline


1 visualização
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon