• Édi Willian Moreira dos Santos

Professores e funcionários das escolas estaduais entram em greve dia 25


Educadores(as) dizem não ao calote da data-base - Foto: João Paulo / APP-Sindicato

A decisão é uma resposta a mais um calote do governo do Estado. Defasagem salarial chega a 17,02%


Cerca de 1500 educadores de todo Estado se reuniram na manhã deste sábado(15), em Curitiba e decidiram aderir à greve geral dos servidores públicos estaduais, que deverá ter início no dia 25, caso o governo não apresente proposta de pagamento da data-base. A decisão foi tomada pela maioria dos presentes.


Além da questão financeira que faz servidores perderem o equivalente a 2,2 salários anualmente, educadores exigem respostas à política de perseguição e gestão mercadológica das escolas públicas, coordenada pelo empresário Renato Feder que assumiu a secretaria da educação este ano.


"Já são quase quatro anos de sacrifício dos servidores. Queremos o que nos é de direito, não estamos pedindo nada além. O governo se reúne com empresários, ruralistas, políticos e se nega a negociar com os servidores que atendem a população do Paraná. É uma atitude desrespeitosa para alguém que ganhou a eleição prometendo diálogo. Se não houver proposta alguma, não temos outro recurso a não ser paralisar as atividades em uma greve unificada das categorias do serviço público", afirmou Hermes Silva Leão, presidente da APP-Sindicato.


O governo se comprometeu, no último dia 29 de abril - quando houve paralisação das categorias -, em apresentar uma proposta de pagamento da defasagem. Foram realizadas 8 reuniões desde então, entre integrantes do governo e dos sindicatos de servidores, que comprovaram que há recursos para pagar a dívida. O governo, porém, não apresentou proposta de pagamento.

0 visualização
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon